UMA ANÁLISE CRÍTICA DO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DO COMMONKADS

  • Fernando Melo Faraco Universidade Federal de Santa Catarina
  • Jorge Ivan Hmeljevski
  • José Leomar Todesco, Dr

Resumo

Para as organizações intensivas em conhecimento (OIC), o principal fator competitivo reside no conhecimento organizacional. Frequentemente, este tipo de organização opera em ambientes complexos nos quais lida com situações, projetos e desafios que apresentam muita incerteza e baixa determinação prévia. Projetos de desenvolvimento de Sistemas de Conhecimento (SdC), quando adequadamente conduzidos, além do conhecimento em si, devem considerar diversos aspectos sociais, por exemplo, a cultura organizacional e outros fatores comportamentais que impactam no resultado do projeto. Neste sentido, a metodologia CommonKADS é consagrada e leva em conta aspectos que partem do contexto da organização (modelo organizacional), passam pelo modelo de conhecimento dentre outros e chegam até o projeto do sistema em questão. Este artigo analisa especificamente o modelo organizacional do CommonKADS sob a ótica do conhecimento e da complexidade frente à realidade de incerteza de muitas OIC. Nesta análise, são apresentadas reflexões sobre o impacto que o contexto organizacional pouco determinístico tem no desenvolvimento de SdC através do CommonKADS. Com isso, são identificadas oportunidades de melhoria da metodologia, tornando-a mais aderente a uma percepção contemporânea das OIC e mais adaptada a organizações cujos processos se desenvolvem num contexto de grande incerteza.

Publicado
2018-09-21
Como Citar
FARACO, Fernando Melo; HMELJEVSKI, Jorge Ivan; TODESCO, José Leomar. UMA ANÁLISE CRÍTICA DO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DO COMMONKADS. Congresso Internacional de Conhecimento e Inovação – Ciki, [S.l.], v. 1, n. 1, sep. 2018. ISSN 2318-5376. Disponível em: <http://proceeding.ciki.ufsc.br/index.php/ciki/article/view/594>. Acesso em: 13 dec. 2019.